terça-feira, 4 de outubro de 2011

De chegada

A convite, deixarei eu também neste átrio algumas das palavras que a caneta vai descoordenadamente vomitando.

Do eminente Antero:

«A estes tais chamo eu poetas. Porque nos ensinam o bem. Porque são originais e dizem sempre alguma cousa nova à nossa curiosidade de saber. Porque dão com a elevação das vidas confirmação à sublimidade dos escritos. Porque são tão poéticos como os seus poemas. Porque vão adiante abrindo à luz e ao amor novos horizontes. Porque não conhecem ambições nem orgulhos. Porque têm a cabeça do génio e o coração da inocência. É por isso tudo que lhes chamo poetas.»


Ao meu anfitrião, Lourenço.

3 comentários:

Estudante de Direito disse...

Bem-vindo!

Milady of Winter disse...

Bem-vindo caríssimo!

Anónimo disse...

Bem-vindo caríssimo! Apraz-me ter-te neste humilde blog! Um abraço. Lourenço

eXTReMe Tracker