sábado, 19 de dezembro de 2009

jacobinismo

rui a.
O jacobinismo indígena continua a fazer das suas. Como é sabido, o jacobinismo caracteriza-se, como lembrava Tocqueville, por «querer abolir tudo do passado». Ele propõe-se modificar as instituições antigas e tradicionais – desde as formas políticas, até à própria contagem do tempo – pela decisão unilateral de uma reduzida elite esclarecida pelos ditames da razão. Em Portugal, acabou de chamar «casamento» ao vínculo formal e jurídico que duas pessoas de sexo igual passam a poder contrair para ordenarem uma vida em comum. Para descaracterizar mais ainda a instituição primitiva, resolveu, hipocritamente, retirar-lhe a adopção, prolongamento mais do que natural de uma vida familiar fundada no amor e certificada pelos poderes públicos. Num caso e noutro, alguma direita rejubilou. Na primeira solução viu arrojo e humanidade, na segunda ponderação e sensatez. A direita portuguesa sempre gostou que a esquerda lhe tratasse do pescoço.

2 comentários:

Arara disse...

Qual a diferença entre a esquerda e a direita?
Nenhuma, ambas foram constituídas para roubar.

Natcho Popcorn disse...

Descaracterização? Que eu saiba a unica descaracterização que houve foi no sentido de Portugal instituir o casamento há (SÓ) à 130 ao mesmo tempo que reforçava as leis contra a sodomia.

Assinado: ORGULHO GAY!

eXTReMe Tracker